W3C: Não ao DRM na Web Hoje no Centro de Congressos, Lisboa

Hoje, à entrada do Centro de Congressos de Lisboa entre as 18h e as 21h30, onde a W3C vai estar reunida, vai haver um protesto contra a introdução de DRM na Web, que fará com que o HTML deixe de ser uma norma aberta.

Localização do protesto aqui: https://ansol.org/DRM-no-HTML

Em breve, a W3C vai decidir se permite a introdução de DRM na norma HTML ou não, pelo que este protesto será uma das últimas oportunidades, se não mesmo a última, para dizermos à W3C que a Web deve continuar a ser aberta e para todos, tal como o seu criador faz questão de sublinhar. Dentro do W3C esta matéria não é consensual, não só por fechar a norma, mas também por questões de segurança (note-se que os componentes em questão não podem ser verificados, e por isso não podemos saber o que esses componentes irão fazer, que informações irão retirar dos nossos computadores, telemóveis ou tablets, para onde irão enviar essas informações, o que será feito com essa informação). Hoje em dia, aplicações que usam DRM já fazem isto (como aconteceu com o Adobe Digital Editions), a diferença é que hoje nós podemos escolher não ter DRM no nosso computador, mas se a W3C aprovar isto, não vamos poder escolher.

Por outro lado, o W3C tem membros, como a Netflix, a Google e a Microsoft, que estão a fazer uma força enorme para que o DRM no HTML seja aprovado.

Apareçam hoje entre as 18h e as 22h, se não puderem estar às 18h, podem aparecer até às 22h. A ANSOL e a AEL vão distribuir flyers, vamos tentar falar novamente com membros do W3C que venham até à entrada.

Se quiserem saber mais, o Marcos criou um breve texto bastante claro sobre esta questão e o que está em causa, que pode ser lido aqui.

2

Adobe: All your data are belong to us #DRM

LT - Technology - Digital Annotation

Nate Hoffelder told us yesterday that Adobe is collecting data about the ebooks you read through the Digital Editions 4, which was confirmed by several other persons, including Ars Technica. Nate says:

Adobe is gathering data on the ebooks that have been opened, which pages were read, and in what order. All of this data, including the title, publisher, and other metadata for the book is being sent to Adobe’s server in clear text.

I am not joking; Adobe is not only logging what users are doing, they’re also sending those logs to their servers in such a way that anyone running one of the servers in between can listen in and know everything.

What is really disturbing is that Adobe seems not only to be gathering data on their DRMed ebooks, but also in other ebooks you might have in your hard drive.

Also disturbing is the response from Adobe to Ars Technica, that seems to address the security of the transmission, but it is not clear if they intend to stop getting data from ebooks that don’t have Adobe’s DRM.

Go to Nate’s blog to know more about this.

** Image by Matt Cornock CC-BY

Remember: #DRM is never good news

DRM locks Books

If you like to read ebooks, you should read this post, get scared, then read the update (both from the Nate Hoffelder’s excellent blog), then think.

So, the story goes like this: Adobe decided to upgrade their DRM and to force everyone (ebookstores, app and device makers) to do the upgrade by July 2014, meaning that lots of readers would not be able to access the books they bought, anymore. Adobe’s clients (ebook stores, app and device makers) made some noise, so Adobe decided to “revise the migration timetable for customers“.

Nate starts his second post with “good news”. It is not good news. Moving the problem forward is not good news. Sooner or later, you’ll loose your DRMed ebooks, because sooner or later DRM companies will change their technology. And doesn’t matter if we talk about Adobe, Apple, Amazon or Google, because none of these companies will take you into consideration unless they expect you to give them more money.

Demand DRM-free ebooks. And while at that, tell European Commission you don’t want DRM (deadline 5th March 2014).

Direitos contra Direitos

O DRM-PT foi convidado pela organização do evento Direitos contra Direitos para estar presente com uma banca, e explicar aos interessados quais são os perigos do DRM e o que fazer para os combater.

Com flyers, vídeos, animações, apresentações e até algumas coisas para oferecer, lá estaremos!

  • Quando: 6 de Setembro de 2009
  • Onde: Academia Contemporânea do Espetáculo, Praça Coronel Pacheco, 1 – PORTO
  • entrada livre

Sobre o Evento

As questões mais polémicas, as posições de um extremo ao outro e as questões do momento sobre direitos de autor e propriedade intelectual vão estar na mesa este domingo, no Porto, naquela que é a primeira grande discussão em Portugal sobre o tema. Todos estão convidados assistir aos debates e às mesas redondas do Direitos contra Direitos na Academia Contemporânea do Espectáculo.

Francisco Louçã, Marisa Matias, Rui Tavares, Miguel Guedes, Adolfo Luxúria Canibal, Agnès Tricoire, Joost Smiers e Aranda da Silva são apenas alguns dos muitos nomes que estarão presentes.

A partir das 21h30 há concertos com a Jigsaw e Ballis Band e depois a festa continua com o DJ Rodrigo Affreixo.

Mais informações em http://drm-pt.info/moin/Direitos_contra_Direitos