Only you can #fixcopyright but you need to start acting now!

The European Parliament (EP) is discussing the European Commission (EC) proposal for a new European directive on copyright, that will endanger education and scientific research, freedom of expression and freedom of information.

The Members of European Parliament (MEP) submitted amendments to the EC’s proposal that are now being discussed and voted in EP’s committees according with the following timetable, taken from Julia Reda’s Website:

June 29, 2017 LIBE Vote on opinion
July 11, 2017? ITRE Vote on opinion
July 11, 2017 CULT Vote on opinion
July 12 or 13, 2017 JURI Debate of report amendments
September 7, 2017 JURI Debate of compromise amendments
October 9 or 10, 2017 JURI Vote on report
Winter 2017? EU Parliament Plenary Vote on report

We all need to contact our representatives in the European Parliament (MEPs) and tell them:
  • to support and vote favourably on those amendments that widen the scope of the TDM exception. Everyone that has legal access to texts and data should be allowed to mine those texts and data. The right to read is the right to mine. EC wants to allow only research centres to do TDM, and only for non commercial purposes, prohibiting startups, public entities, cultural heritage institutions, journalists and citizens to do it;
  • to support and vote favourably on those amendments related with technological measures. Technological measures (DRM) kill your right to exercise copyright exceptions in education, scientific research, cultural heritage, etc. We need to change this and now there’s an opportunity: if those amendments are approved, technological measures will never stop citizens from exercising the exceptions again in Europe. The best part is those amendments do not change the rightholder’s rights, they will have exactly the same rights, they can still use technological measures (DRM) in their works and DRM will still be protected by law;
  • to support and vote favourably on those amendments that extend the copyright exception for education and reject a licensing system and levies, that educational entities cannot afford;
  • to support and vote favourably on those amendments that reject article 11º (publishers’ rights). EC wants to create a new 20 years related right to be given to news’ publishers, endangering the sharing of links with snippets or a title to a new’s article. A similar law didn’t work in Germany and was disastrous in Spain. It is also an abject limitation on freedom of expression and access to information and independent academics unanimously oppose to extra copyright for news sites;
  • to support and vote favourably on those amendments that create a new exception for user generated content;
  • to support and vote favourably on those amendments that harmonise the panorama exception.

Last Friday, the European People’s Party (EPP), the party with more MEPs (and votes) in the European Parliament, adopted a position on EC proposal that, if approved, will take Europe to the dark ages.

We all need to contact our representative MEPs!

The contacts of MEPs can be found in the EP’s page. The most important vote is JURI Committee vote, so if you don’t have time to contact all your representatives, you should prioritise JURI’s. Check your country below to see how to contact your representatives:

If you are from Czech Republic, you should contact (change [at] for @):

Pavel SVOBODA
Email: pavel.svoboda [at] europarl.europa.eu
Brussels Office Phone: +32(0)2 28 45303

Jiří MAŠTÁLKA
Email: jiri.mastalka [at] europarl.europa.eu
Brussels Office Phone: +32(0)2 28 45905

If you are from Poland, you should contact (change [at] for @):

Lidia Joanna GERINGER de OEDENBERG
Email: lidiajoanna.geringerdeoedenberg [at] europarl.europa.eu
Brussels Office Phone: +32(0)2 28 45809

Tadeusz ZWIEFKA
Email: tadeusz.zwiefka [at] europarl.europa.eu
Brussels Office Phone: +32(0)2 28 45258

Kosma ZŁOTOWSKI
Email: kosma.zlotowski [at] europarl.europa.eu
Brussels Office Phone: +32(0)2 28 45775

Stanisław ŻÓŁTEK
Email: stanislawjozef.zoltek [at] europarl.europa.eu
Brussels Office Phone: ++32(0)2 28 45603

If you are from France, you should contact (change [at] for @):

Jean-Marie CAVADA
Email: jean-marie.cavada [at] europarl.europa.eu
Brussels Office Phone: +32(0)2 28 45367

Joëlle BERGERON
Email: joelle.bergeron [at] europarl.europa.eu
Brussels Office Phone: +32(0)2 28 45295

Marie-Christine BOUTONNET
Email: marie-christine.boutonnet [at] europarl.europa.eu
Brussels Office Phone: +32(0)2 28 45602

Gilles LEBRETON
Email: gilles.lebreton [at] europarl.europa.eu
Brussels Office Phone: +32(0)2 28 45817

Pascal DURAND
Email: pascal.durand [at] europarl.europa.eu
Brussels Office Phone: +32(0)2 28 45161

Constance LE GRIP
Email: constance.legrip [at] europarl.europa.eu
Brussels Office Phone: +32(0)2 28 45120

Virginie ROZIÈRE
Email: virginie.roziere [at] europarl.europa.eu
Brussels Office Phone: +32(0)2 28 45408

If you are from Italy, you should contact (change [at] for @):

Laura FERRARA
Email: laura.ferrara [at] europarl.europa.eu
Brussels Office Phone: +32(0)2 28 45410

Enrico GASBARRA
Email: enrico.gasbarra [at] europarl.europa.eu
Brussels Office Phone: +32(0)2 28 45410

Isabella ADINOLFI
Email: isabella.adinolfi [at] europarl.europa.eu
Brussels Office Phone: +32(0)2 28 45714

Mario BORGHEZIO
Email: mario.borghezio [at] europarl.europa.eu
Brussels Office Phone: +32(0)2 28 45704

Sergio Gaetano COFFERATI
Email: sergio.cofferati [at] europarl.europa.eu
Brussels Office Phone: +32(0)2 28 45513

Stefano MAULLU
Email: stefano.maullu [at] europarl.europa.eu
Brussels Office Phone: +32(0)2 28 45219

If you are from Luxembourg, you should contact (change [at] for @):

Mady DELVAUX
Email: smady.delvaux-stehres [at] europarl.europa.eu
Brussels Office Phone: +32(0)2 28 45136

If you are from Sweden, you should contact (change [at] for @):

Max ANDERSSON
Email: max.andersson [at] europarl.europa.eu
Brussels Office Phone: +32(0)2 28 45457

Jytte GUTELAND
Email: jytte.guteland [at] europarl.europa.eu
Brussels Office Phone: +32(0)2 28 45694

If you are from Greece, you should contact (change [at] for @):

Kostas CHRYSOGONOS
Email: kostas.chrysogonos [at] europarl.europa.eu
Brussels Office Phone: +32(0)2 28 45405

If you are from Ireland, you should contact (change [at] for @):

Brian CROWLEY
Email: briancrowleymep [at] europarl.europa.eu
Brussels Office Phone: +32(0)2 28 45751

If you are from Spain, you should contact (change [at] for @):

Rosa ESTARÀS FERRAGUT
Email: rosa.estaras [at] europarl.europa.eu
Brussels Office Phone: +32(0)2 28 45163

Luis de GRANDES PASCUAL
Email: luis.degrandespascual [at] europarl.europa.eu
Brussels Office Phone: +32(0)2 28 45512

If you are from United Kingdom, you should contact (change [at] for @):

Mary HONEYBALL
Email: mary.honeyball [at] europarl.europa.eu
Brussels Office Phone: +32(0)2 28 45209

Sajjad KARIM
Email: sajjad.karim [at] europarl.europa.eu
Brussels Office Phone: +32(0)2 28 45640

Jane COLLINS
Email: jane.collins [at] europarl.europa.eu
Brussels Office Phone: +32(0)2 28 45104

If you are from Germany, you should contact (change [at] for @):

Sylvia-Yvonne KAUFMANN
Email: sylvia-yvonne.kaufmann [at] europarl.europa.eu
Brussels Office Phone: +32(0)2 28 45788

Julia REDA
Email: julia.reda [at] europarl.europa.eu
Brussels Office Phone: +32(0)2 28 45732

Axel VOSS
Email: axel.voss [at] europarl.europa.eu
Brussels Office Phone: +32(0)2 28 45302

Evelyne GEBHARDT
Email: evelyne.gebhardt [at] europarl.europa.eu
Brussels Office Phone: +32(0)2 28 45466

Angelika NIEBLER
Email: angelika.niebler [at] europarl.europa.eu
Brussels Office Phone: +32 (0) 2 28 45390

Rainer WIELAND
Email: rainer.wieland [at] europarl.europa.eu
Brussels Office Phone: +32(0)2 28 47545

Tiemo WÖLKEN
Email: tiemo.woelken [at] europarl.europa.eu
Brussels Office Phone: +32(0)2 28 45431

If you are from Portugal, you should contact (change [at] for @):

António MARINHO E PINTO
Email: antonio.marinhoepinto [at] europarl.europa.eu
Brussels Office Phone: +32(0)2 28 45403

If you are from Bulgaria, you should contact (change [at] for @):

Emil RADEV
Email: aemil.radev [at] europarl.europa.eu
Brussels Office Phone: +32(0)2 28 45189

Angel DZHAMBAZKI
Email: aangel.dzhambazki [at] europarl.europa.eu
Brussels Office Phone: +32(0)2 28 45697

If you are from Austria, you should contact (change [at] for @):

Evelyn REGNER
Email: evelyn.regner [at] europarl.europa.eu
Brussels Office Phone: +32(0)2 28 45476

If you are from Hungary, you should contact (change [at] for @):

József SZÁJER
Email: jozsef.szajer [at] europarl.europa.eu
Brussels Office Phone: +32(0)2 28 45871

If you are from Romania, you should contact (change [at] for @):

Daniel BUDA
Email: daniel.buda [at] europarl.europa.eu
Brussels Office Phone: +32(0)2 28 45110

If you are from Lithuania, you should contact (change [at] for @):

Antanas GUOGA
Email: antanas.guoga [at] europarl.europa.eu
Brussels Office Phone: +32(0)2 28 45522

Viktor USPASKICH
Email: viktor.uspaskich [at] europarl.europa.eu
Brussels Office Phone: +32(0)2 28 45339

If you are from Finland, you should contact (change [at] for @):

Heidi HAUTALA
Email: heidi.hautala [at] europarl.europa.eu
Brussels Office Phone: +32(0)2 28 45518

If you are from Denmark, you should contact (change [at] for @):

Jens ROHDE
Email: jens.rohde [at] europarl.europa.eu
Brussels Office Phone: +32(0)2 28 45569

European Parliament by Francisco Antunes Creative Commons BY

Comissão Parlamentar vota amanhã projeto sobre #DRM cc/ #PL118

A Comissão de Cultura, Comunicação, Juventude e Desporto tem marcada, para amanhã, a discussão e votação do Projeto de Lei n.o 151/XIII (1.a), do BE – Garante o exercício dos direitos dos utilizadores, consagrados no Código do Direito de Autor e dos Direitos Conexos, que tem como objetivo garantir as utilizações livres (ou exceções) dos cidadãos, mesmo nos casos em que as obras tenham DRM.

O direito de autor é um direito de exclusivo, ou seja, só o autor pode usar a obra e só o autor pode autorizar terceiros a usar a obra. Este é o direito que se dá aos autores, por omissão.

Se o legislador tivesse mantido o direito de autor apenas desta forma, então todos os outros cidadãos perderiam os seus direitos fundamentais e colocar-se-ía em risco a criatividade e inovação.

Se o direito de autor se mantivesse apenas assim, isso significaria que cada vez que um cidadão quisesse usar uma obra para dar uma opinião, fazer uma crítica, corrigir uma informação, ensinar, investigar, etc., esse cidadão teria de encontrar todos os titulares dos direitos dessa obra, contactar todos os titulares, e pedir-lhes permissão para citar e usar a obra. Ora, os titulares dos direitos poderiam negar essa permissão e se o fizessem o cidadão não poderia criticar, opinar, ensinar, etc.

Neste ponto, o legislador decidiu que era preciso equilibrar os direitos dos autores e os direitos dos cidadãos. Para isso, manteve o direito de autor como direito de exclusivo, mas começou a abrir exceções a esse direito, que traduzem ações que os cidadãos podem realizar sem terem de pedir autorização aos titulares dos direitos e, nesse sentido, não podem ser negadas.

Assim, o legislador:

  • criou uma exceção para o cidadão poder utilizar excertos de obras para criticar, discutir, opinar, corrigir de forma a garantir o direito fundamental à liberdade de expressão;
  • criou uma exceção para a utilização de partes ou excertos de obras para fins de ensino e de investigação científica para garantir o direito fundamental à educação;
  • criou uma exceção para a realização de cópias privadas, para garantir o direito fundamental à privacidade e propriedade;
  • criou uma exceção para os órgãos de comunicação social para garantir o direito a informar e a ser informado;
  • criou uma exceção para as bibliotecas e outras instituições de património, que de outra forma não poderiam existir, para garantir o direito fundamental de acesso à cultura e património;
  • criou várias outras exceções que podem ser lidas no artigo 75º e seguintes do Código de Direito de Autor e Direitos Conexos [PDF].

Em 2004, Portugal transpôs a Diretiva Europeia sobre Direito de Autor (InfoSoc), que passava a dar proteção ao DRM (também chamado de tecnologias anti-cópia ou medidas tecnológicas). Assim, a lei portuguesa foi alterada para dizer que ninguém poderia neutralizar o DRM de uma obra, mesmo que quisesse fazer uma utilização legal.

Como exemplo, se comprarem um ebook e quiserem fazer uma cópia privada para o ler noutro dispositivo, a lei diz que têm esse direito, mas se o ebook tiver DRM (a maioria tem), então não podem neutralizar esse DRM. Como não é possível fazer uma cópia privada da obra sem neutralizar o DRM, isto significa que apesar de continuarmos a ter o direito à cópia privada, não podemos exercer esse direito.

 

O DRM impede todas as utilizações livres, desde a cópia privada (que todos nós pagamos através de uma taxa), passando pela utilização para fins de ensino e de investigação científica, pela utilização para fins de crítica, discussão ou opinião, etc. Na verdade, a lei ao proibir a neutralização do DRM, mesmo para ações legais, impede os cidadãos de exercerem os seus direitos fundamentais.

O Bloco de Esquerda submeteu um projeto de lei, que pretende resolver este problema. Se for aprovado, os cidadãos poderão passar a neutralizar o DRM para realizar as utilizações livres, e apenas estas, já descritas na lei (cópia privada, utilização para fins de ensino e de investigação científica, etc.).

Tendo em conta que a alteração que este projeto de lei propõe é apenas a de garantir que todos nós possamos exercer o que a lei permite, parece estranho que este projeto ainda não tenha sido aprovado, mas a verdade é que ainda há pessoas e entidades que querem continuar a proibir as pessoas de exercerem os seus direitos fundamentais.

Assim, se puderem e quiserem contactar os deputados da Comissão para lhes dizer como é importante que este projeto seja aprovado, podem fazê-lo por email, neste link. A votação na Comissão está marcada para amanhã às 16h.

A Associação Ensino Livre tem contribuído para esta discussão, através de pareceres e reuniões no Parlamento. Mais info aqui.

 

#Portugal é o melhor exemplo europeu na liberdade de #panorama #fotografia

share-fop-edit-768x404

O que diriam se não pudessem fotografar, nem filmar numa cidade, nem pudessem partilhar essas fotografias ou vídeos?

Ao contrário de Portugal, em alguns países da União Europeia, como a Grécia e a Itália não é permitido partilhar fotografias, nem vídeos de edifícios, esculturas, grafitti ou outras obras, criadas para estarem no espaço público, que tenham direitos de autor.  É quase impossível fotografar ou filmar numa cidade sem apanhar tais obras. Noutros países, como em França, a lei não é clara, pelo que fotografar a Torre Eiffel à noite, por exemplo, pode dar multa.

A Communia, associação internacional que promove o domínio público e o acesso e reutilização da cultura e conhecimento, concluiu que Portugal é um exemplo a seguir no que respeita à liberdade de panorama, ou seja o “direito de fotografar e filmar obras protegidas por direito de autor, que sejam feitas para serem mantidas permanentemente em locais públicos (como a arquitectura ou a escultura), e partilhar tais fotos e vídeos“.

A questão é particularmente pertinente porque a Comissão Europeia tem neste momento a decorrer uma consulta pública sobre este tema, a que todos nós devemos responder. Para ajudar a responder, a campanha Fix Copyright criou este site.

Teresa Nobre, advogada e coordenadora jurídica da Creative Commons Portugal, que realizou este estudo para a Communia, explica que

A liberdade de panorama está assente na liberdade de expressão e em razões de interesse público. Sem ela, os cidadãos não podem documentar o espaço público ou partilhar as suas memórias nas redes sociais e em blogues.

Para os artistas, nomeadamente fotógrafos e realizadores, esta liberdade também é essencial, uma vez que muitas das suas produções irão inevitavelmente exibir essas obras alheias que se encontram nos locais públicos. É praticamente impossível filmar numa rua de Lisboa ou do Porto sem capturar um edifício ou uma estátua!

Finalmente, os jornalistas, agentes turísticos e ainda entidades oficiais responsáveis por promover o turismo de uma determinada cidade ou região encontrariam grandes obstáculos se não pudessem fazer reportagens fotográficas, vídeos e outro tipo de divulgações de teor cultural (e não meramente noticioso) contendo imagens de obras de arte que se encontram no espaço público.

Felizmente, em Portugal podemos fotografar em todos estes casos. Mas não noutros países europeus, pelo que é importante responder à consulta da Comissão Europeia. Atenção que o prazo limite para responder é já no dia 15 de Junho.

Mais info nas imagens seguintes (em Inglês):

factsheet-panorama-edits-frentefactsheet-panorama-edits-verso

Congresso Internacional de #HumanidadesDigitais #HDPT2015

Screen Shot 2015-10-07 at 19.37.55

Nos próximos dois dias, estarei no Congresso Internacional de Humanidades Digitais, que vai decorrer na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa.

O congresso abre amanhã com Maria Clara Paixão de Sousa e encerra na sexta com Daniel Cohen. O evento contém um conjunto de comunicações extremamente interessantes, partilho novamente o livro de resumos, que podem descarregar a partir do site do congresso (o difícil vai ser decidir a quais assistir).

Para acompanhar e participar na discussão através do Twitter: #HDPT2015.

Amanhã, estarei a moderar a mesa 4, às 14h, no auditório 1 e que contém um conjunto de comunicações sobre projectos inovadores e que constituem lídimos exemplos da investigação em humanidades digitais:

Rede de Colecções Patrimoniais das Bibliotecas do Alentejo: património textual e Humanidades Digitais, Maria Filomena Gonçalves, Filipa Medeiros, Maria Armanda Salgado, Paulo Quaresma, Ana Paula Banza, Francisco Vaz e Dália Guerreiro (CIDEHUS-UE/FCT, Universidade de Évora) – Portugal
TRACEweb: building a research database and document repository for the TRACE project, Alejandro Bia, Jesús Javier Rodríguez-Sala e Ramon P. Ñeco (Universidad Miguel Hernández) – Espanha
O Second Life ainda vive: onde estão os bibliotecários?, Miguel Mimoso Correia (Biblioteca Nacional de Portugal) e Bruno Duarte Eiras (Rede de Bibliotecas Municipais de Oeiras) – Portugal
Prospects for Mapping BITAGAP’s text data, Martha Schaffer (University of San Francisco) – Estados Unidos da América

#WednesdayBlog Dan Cohen’s Blog #DigitalHumanities #BlogsIFollow @dancohen

[Every Wednesday I’ll recommend one of the blogs I follow. Yes, I still follow the best of the best using a feed reader. You’ll be able to check the list @ this blog’s header.]

http://www.dancohen.org

I started to follow Dan Cohen’s work since I found his book “Digital History”, co-authored with Roy Rosenzweig, back in 2006 or 2007. For many years, Cohen was director of the Roy Rosenzweig Center for History and New Media, that gave us the best reference manager ever, Zotero, as well as many other software, resources, and truly innovative projects like One Week | One Tool, Hacking the Academy or THATCamp.

During the last year, Dan Cohen’s blog didn’t receive updates, due to his new job as Executive Director of the Digital Public Library of America (DPLA), but a recent post tell us we can expect more articles in the future. Meanwhile, I recommend you to check the Best of the Blog section, where you’ll find posts that “have more lasting value and continue to garner new readers and links years later“.

Cohen also hosts the Digital Campus’ podcast that you can hear, download or subscribe here. For more regular updates, you’ll want to join his followers on Twitter @dancohen.

Also, he’ll be a keynote speaker at the conference Digital Humanities in Portugal: building bridges and breaking barriers in the digital age, that will be held in Lisbon, later this year.