Receita: Tarte sem nome

Ultimamente, ando a experimentar tartes. São mais ou menos rápidas de se fazer, são óptimas para aproveitar comida que tenha sobrado de outras refeições e parecem ficar sempre bem. Embora o Marcos não concorde, continuo a achar que não tenho muito jeito para a cozinha. Talvez porque não vejo em mim a dedicação ou entusiasmo que vejo noutras pessoas que sei que adoram cozinhar.

“Inventei” esta receita e tenho de admitir que soube tão bem como parece.

Ingredientes:

– Salmão grelhado e frango assado, que cresceram de uma refeição anterior

– Chouriço

– Fiambre

– Queijo

– Pimento (verde e vermelho)

– 1 pacote de natas

– 2 ovos

– Massa quebrada (compra-se no Continente, congelada. Demora 2h a descongelar para poder ser usada.)

Preparação:

Estender a massa quebrada (podem usar também massa folhada se preferirem) e forrar uma forma de tarte. Colocar o salmão, frango, chouriço, fiambre queijo e pimento cortados aos bocadinhos dentro da forma. As quantidades variam consoante o gosto. Coloquei apenas 4 ou 5 pedacinhos de pimento verde e vermelho só para dar sabor.

Bater os dois ovos com as natas e deitar por cima dos outros ingredientes.

Levar ao forno até ficar douradinha.

A vantagem é que se podem fazer imensas variações, bastando alterar os ingredientes, mantendo-se apenas a massa (folhada ou quebrada), os ovos e as natas.

 

2 thoughts on “Receita: Tarte sem nome

  1. Eu tenho uma receita parecida, mas ainda mais simples.

    1 lata de feijão encarnado
    restos q.b. de refeições anteriores
    1 ou 2 ovos, se houver
    uma malagueta bem picada
    uma cabeça de alho, esmagado
    mexer na frigideira, e já está.

    (a malagueta e o alho garantem que a refeição sabe sempre ao mesmo quaisquer que sejam os outros ingredientes)

    Julgo que esta nem o Marcos elogiaria. Mas experimenta, a ver…😉

    Mas isto é só a minha refeição de emergência se estou sozinho em casa. Se tenho tempo, faço sushi. Basta arroz, vinagre, e o que houver no congelador, mas é preciso demolhar o arroz pelo menos meia hora, e depois fazer os rolinhos.

    Like

  2. Eheh, hei-de experimentar!
    De vez em quando também faço sushi. A primeira vez que fiz foi na Finlândia. Nunca mais encontrei salmão tão delicioso. Mas é preciso tempo e (ainda) livro ao lado🙂

    Like

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s