ods vs xls

Às vezes, sou obrigada, por razões profissionais e por momentos, a trabalhar em windows, em computadores que não são os meus, e, especificamente, a trabalhar com o Excel.

Aqui há tempos, deu-se o caso de eu ter de fazer uma tarefa no Excel, num determinado computador. Eu queria tão somente fazer uma coluna com algo como 20/2008 – 21/2008 – … . Mas queria fazer isto automaticamente! Imaginem o que é fazer algo como isto para 100 ou 200 células!

Tentei arrastar o quadradinho, nada. Tentei fazer shift, ctrl, eu sei lá que mais e arrastar, nada… Não havia forma de dizer ao desgraçado do Excel que eu queria que ele adicionasse um valor ao valor antes do / e não adicionasse nada ao valor a seguir ao /.

Solução: enviar o ficheiro por email para mim, abrir o ficheiro no OpenOffice, no meu computador, clicar no canto da célula, arrastar até onde queria, guardar, enviar de novo por email para mim e, finalmente, abrir o ficheiro no tal computador.

15 thoughts on “ods vs xls

  1. Se não tivesses acesso ao e-mail ou ao oOo podias sempre fazer uma linha com a sequência 20, 21, 22; e na linha abaixo utilizar a fórmula [=+R438&”/2008″]

    Like

  2. Ora aí está um belo de um estereótipo para deitar abaixo uma ferramenta em benefício de outra.
    Efectivamente a utilização da fórmula poderia ser algo a ter em linha de conta, mas antes disso havia que pensar por que é que o Excel não faz aquilo daquela maneira. O excel numera automaticamente a última série de valores, o que quer dizer que numera 2008 para 2009 e assim sucessivamente, e o que não interessa.
    A primeira pergunta é – Para que raio quererá algo do género 20/2008? Deduzo que seja a numeração atribuída a alguma coisa de importante.
    Aí surgem as outras questões, ou seja – terá lógica numerar dessa forma? Não será melhor numerar de forma a que a variável independente seja a que surja primeiro (2008/20). É que se se imaginar que terei que criar uma rotina automática para pesquisar o número do documento 400, por exemplo, é muito mais fácil conceber um algoritmo que saiba que deverá excluir os primeiros 5 caracteres na pesquisa do que um outro qualquer que em primeiro lugar tem que saber que deve excluir uma expressão composta por 6 caracteres ( 1000/2008). Fazer isto da maneira mais complicada é o mesmo que ir ao Porto passando primeiro por Faro.
    Para isto existem boas práticas, umas normalizadas outras não, umas vistas como standards e outras não. O Excel, como toda a suite de produtos Office, baseia-se bastante nessas Boas Práticas, ao contrário de outros produtos. A concepção desse tipo de produtos é resultado de vastas pesquisas e de experiência adquirida com os anos e é por isso que há coisas não faz. Os produtos tecnológicos têm a capacidade de mudar a forma como vemos o mundo, que é o mesmo que dizer a forma como fazemos as coisas e se puderem contribuir para um crescendo de boas práticas, melhor.

    Like

  3. Ehh pá.
    a coisa acabou-se.
    Exactamente esta parte do texto “É que se se imaginar que terei que criar uma rotina automática para pesquisar o número do documento 400, por exemplo, é muito mais fácil conceber um algoritmo que saiba que deverá excluir os primeiros 5 caracteres na pesquisa do que um outro qualquer que em primeiro lugar tem que saber que deve excluir uma expressão composta por 6 caracteres ( 1000/2008). Fazer isto da maneira mais complicada é o mesmo que ir ao Porto passando primeiro por Faro.”

    Like

  4. censura?!

    É que se se imaginar que terei que criar uma rotina automática para pesquisar o número do documento 400, por exemplo, é muito mais fácil conceber um algoritmo que saiba que deverá excluir os primeiros 5 caracteres na pesquisa do que um outro qualquer que em primeiro lugar tem que saber que deve excluir uma expressão composta por 6 caracteres (menor que 100/2008) e todas com mais de 7 (maior que 999/2008). Fazer isto da maneira mais complicada é o mesmo que ir ao Porto passando primeiro por Faro.

    Like

  5. censura?!

    6 caracteres (menor que 100/2008) e todas com mais de 7 (maior que 999/2008). Fazer isto da maneira mais complicada é o mesmo que ir ao Porto passando primeiro por Faro.

    Será que eram os simbolos de maior e menor?

    Like

  6. gnumeric says:

    @Nelson

    O que são boas práticas? Será que essas boas práticas são iguais em todo o lado?
    O software limitou o que o utilizador quis fazer, e isso, boas práticas ou não, não deve acontecer.
    Ser ou não dificil de implementar não é razão para deixar de fazer ou não qq coisa.
    Lá por o ms-office ser das melhores suites (só não digo que é a melhor por causa do ribbon, ou seja a versão anterior (2003?) imho, ainda é a melhor suite), não quer dizer que não tenha limitações.

    Like

  7. Caro Nelson, quer por este comentário, quer pelo que colocou no meu blog, já se percebeu que é acérrimo defensor da Microsoft.

    Porém não percebi se é do género entendido e coloca todos os outros num patamar abaixo, ou se é do género apple boy.

    A frase:

    “Para que raio quererá algo do género 20/2008? Deduzo que seja a numeração atribuída a alguma coisa de importante.
    Aí surgem as outras questões, ou seja – terá lógica numerar dessa forma? Não será melhor numerar de forma a que a variável independente seja a que surja primeiro (2008/20)”

    Revela algo que para mim é fatal, e motivo para não contratar um informático (ou não renovar contrato).

    Aceito que por vezes é complicado, e que por vezes a relação custo-benefício pode ser desvantajosa.

    Mas ter como princípio que é o utilizador que se deve adapatar aos sistemas e não o inverso é coisa dos anos 80.

    Só ao utilizador interessa porque quer as coisas da maneira A ou da maneira B; se o software faz, utiliza-se. Não faz? Arranja-se outro.

    Em relação à rotina, e daí a ideia que não percebe bem do assunto – ou eu não entendi bem, para mim é exactamente igual excluir os cinco da esquerda como excluir os cinco da direita.

    Like

  8. @gnumeric
    Boas práticas é o mesmo que dizer que é algo que já foi testado por diversas vezes e que funciona bem, tendo-se chegado à conclusão que é a melhor maneira.

    @Nuno Saraiva
    Não sou nenhum defenssor da Microsoft como diz. Por outro lado, admito que os produtos deles são bons, mas também os há de outras gentes.
    Acredito que não tenha percebido o meu exemplo, pois tive que repetir uma série de vezes e mesmo assim ficou incompleto. Julgo que quando colocava os simbolos de maior ou menor a coisa aqui passava-se.
    O que quis dizer é, imagine-se um algoritmo, se quiser criar uma rotina para pesquisar um valor com dois digitos (20/2008) num banco que já tem registos com demasiados (999999/2008) tem que o Programa que o número em causa só tem dois digitos e mandar excluir toda a informação que não cumpra os requisitos. Já se estivesse ao contrário, independentemente do valor que se quisesse procurar, bastaria informar que é qualquer um para lá do prefixo inicial (2008/…). A rotina é muito mais curta, mais simples e mais rápida.

    Like

  9. joao says:

    @nelson
    concerteza q sao as boas practicas q levam a q o excel por omissao faca os graficos com uns horriveis roxo e lilas…

    Like

  10. “censura?!”

    Sr. Nelson,
    Eu vou pensar que o sr. Nelson descobriu este blog há pouco tempo e, por isso, ainda não teve tempo de verificar que neste blog se tem defendido acerrimamente a liberdade de expressão, e com isso até, despoletando diversos ódios. Nem toda a gente defende a liberdade de expressão, sr. Nelson.
    E é neste sentido que vou relevar a sua indelicada insinuação.

    Há vários anos que escrevo em blogs e a única vez que me lembro de ter apagado um comentário, fi-lo por conter linguagem indecorosa. E ainda assim, coloquei no blog em questão um comentário a dizer que o tinha feito e porquê.

    Pode acontecer, em comentários com vários links, que o wordpress (plataforma deste blog) marque como spam comentários que o não são, no entanto num prazo de dois ou três dias no máximo, eu própria os marcarei como comentários visíveis.

    Like

  11. “Para que raio quererá algo do género 20/2008?”

    Sr. Nelson,

    O raio é que não quero, mas preciso. O objectivo, para além de ter uma base numa folha de cálculo, era fazer um documento de texto, através do mail merge, por exemplo, que tem, oficialmente, um modelo em que deve aparecer número/ano.

    Se eu disser à entidade em causa que o modelo deles (documento de texto + folha de cálculo) diz que deve aparecer número/ano, mas que o excel não dá para fazer isso ou que o excel acha que isso não é uma boa prática, essa entidade mandar-me-á às urtigas com toda a razão.

    Além disso, é extremamente indelicado da sua parte dizer que o meu trabalho não tem boas práticas, quando o sr não sabe o que eu faço.

    Era o que mais faltava um software saber mais do meu ofício do que eu própria!

    Like

  12. Olá novamente,
    Acho que estou a ser mal interpretado.
    A expressão “censura” não era para levar a sério. O que quis dizer é que parte do comentário tinha ficado apagado, e por isso é que o repeti. Descobri que era por causa da utilização dos simbolos MAIOR e MENOR.

    Acerca das boas práticas, eu não estou a dizer que devam ser sempre adoptadas, mas regra geral são e por isso é que existem padrões e normas de certificação ISO, etc.

    Podemos sempre voltar à questão de querer ir para o Porto passando primeiro por Faro.

    Quanto à questão dos gráficos, pois é mau, mas há pior. Para quem como eu trabalha regularmente com SPSS não acharia os gráficos do Excel uma coisa assim tão má😀

    Like

  13. Ao usar o OpenOffice não estou a “ir ao Porto, passando primeiro por Faro”, pelo contrário.

    Eu tenho um objectivo a cumprir. No OpenOffice, com um clique cumpro esse objectivo, no Excel, não o consegui cumprir.

    Queira aceitar ou não, o facto é que eu resolvi o meu problema com o openoffice e não o consegui resolver com o excel. E de forma intuitiva. Descobri como fazer isso na altura, no openoffice.

    Tendo em conta que ultimamente a reputação da ISO anda muito fraquinha, esse argumento não é lá grande argumento.

    Nuno Saraiva,
    Muito obrigada pela dica, fica aqui no blog registada e assim se precisar sei onde está.
    De qualquer forma e olhando para a fórmula, acho que vou mesmo instalar o OpenOffice.org Portable numa pen, just in case😉

    Like

  14. Então deixa cá ver se percebi: o utilizador foi criado para servir e se adaptar ao software. Bolas! Ando há 25 anos na informática e nunca me tinha apercebido disso! Ainda bem que NUNCA toquei num pc com software da microsoft. Xiça!

    Like

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s