De volta a casa

O sol, demasiado quente, batia no vidro da janela do expresso, fazendo-nos alterar a posição regularmente ou segurar a cortina com a mão. O conselho tinha sido dado por um amigo, mesmo antes de regressarmos: “Escolham o lado esquerdo, que ali à saída de Castro D’Aire, há um precipício que é complicado de olhar…”

No rádio, a voz do Jorge Palma cantava

Encosta-te a mim,
nós já vivemos cem mil anos

a fazer rememorar a recente visita a Lamego, cidade antiquíssima, encimada pelo Castelo:

Castelo de Lamego
Castelo de Lamego

Com diversos monumentos e igrejas, entre as quais a Igreja de Almacave, onde o Rei D. Afonso Henriques reuniu a sua cúria, em Setembro de 1143, de regresso de Zamora onde tinha assinado o Tratado de Independência de Portugal:

Igreja de Almacave
Igreja de Almacave

Lamego, cidade mais antiga que Portugal, com as suas casas de pedra e diversos exemplares arquitectónicos brasonados:

Rua de Lamego, dentro da muralha do Castelo
Rua de Lamego, dentro da muralha do Castelo

Memórias recentes de esplanar, ao sabor do café e fintando o tempo, mesmo em frente da Sé de Lamego:

Sé de Lamego
Sé de Lamego

A Sé com os frescos de Nicolau Nasoni, projectista do chafariz e escadaria do Santuário de Nossa Senhora dos Remédios, também em Lamego e da Torre dos Clérigos, no Porto:

Frescos de Nicolau Nasoni, na Sé de Lamego
Frescos de Nicolau Nasoni, na Sé de Lamego

Com direito a visita guiada à mata do Santuário de Nossa Senhora dos Remédios, que há-de ter feito as delícias dos pequenos, que na infância, brincavam por ali:

Lago na Mata do Santuário de Nossa Senhora dos Remédios em Lamego
Lago na Mata do Santuário de Nossa Senhora dos Remédios em Lamego

Com os seus bancos de pedra, vegetação abundante e grutas, ainda que artificiais:

Gruta artificial (que década de 1900) na mata do Santuário de Nossa Senhora dos Remédios
Gruta artificial (que data da década de 1900) na mata do Santuário de Nossa Senhora dos Remédios

Tempo de lazer a recordar as partidas de Senet ou Scrabble, noite dentro, em amena cavaqueira com os amigos:

Senet
Senet

Estive 15 dias de férias, férias mesmo, férias como não tinha há já alguns anos. E agora, back to work🙂

Mais fotos aqui.

4 thoughts on “De volta a casa

  1. quero-te dar desde já os parabéns por não seres mais um carneiro no algarve. é impossível descansar, relaxar, ou fazer o que quer que seja com a mínima paz por aqui.. não percebo que tipo de “férias” são estas que as pessoas gozam.

    já agora, adorei os registos. dão uma excelente imagem de Lamego para quem, como eu, nunca lá foi🙂

    Like

  2. Devo dizer que fui apenas uma vez ao Algarve, quando era pequena com uns tios meus. As memórias que guardo são a água cristalina de Tavira (que me maravilhou, eu que sou perdida por água) e enchentes de gente em todo o lado, com demasiado barulho. Ouve-se sempre as pessoas dizerem que precisam de férias para descansar e depois vamos a ver e parecem ter mais energia do que no resto do ano🙂

    Foi a primeira vez que fui a Lamego e fiquei deveras impressionada. Mesmo durante os 15 dias não tive tempo de ver todos os monumentos🙂
    Esqueci-me também de referir a especialidade local Bôla de Lamego, que é realmente a melhor que já provei até hoje🙂

    Like

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s