A blogoesfera ou porque é o Clix motivo de post e não de notícia

Foi a partir deste post que decidi escrever sobre este assunto, tantas vezes falado na Blogoesfera. A primeira reflexão que se faz é que a Blogoesfera é vaidosa. O blogger não resiste a apontar quando o seu blog é citado na imprensa. É como se a citação no jornal credibilizasse a blogoesfera, como se lhe desse respeitabilidade.

Muitos bloggers ainda não perceberam que a blogoesfera não é o parente pobre da imprensa. Ambos os media cumprem funções diferentes, e como tal, devem ser entendidos como formas diferentes de comunicação e não como concorrentes. A blogoesfera tem mérito ou demérito por si própria, não precisa de uma citação no jornal para se elevar.

Mas o que me preocupa verdadeiramente é que a imprensa leia a blogoesfera e os bloggers saibam disso. Ao mesmo tempo que o bom jornalista nutre um carinho pelas suas fontes, sabe que a função das fontes é manipular o jornalista. Cabe-lhe perceber, nesse jogo, o que é notícia do que é mera manipulação, seja esta propositada ou não. Que a imprensa traga uma vez por outra notícias com origem na blogoesfera, não me choca. Que apareçam muitas notícias com origem na blogoesfera, já me faz questionar as práticas jornalísticas.

O bom jornalista tem uma agenda de contactos invejável. Mas para que essa agenda seja invejável é necessário trabalho. Não basta arranjar o contacto da fonte. É necessário manter esse contacto ao longo do tempo, para que as fontes dêem fruto. É o que se chama cultivar as fontes. E isto leva tempo, demora e é trabalhoso, ao contrário de passar os olhos pelos blogs.

Aquilo que faz um bom post na blogosfera, não faz uma boa notícia no jornal. É o caso das “borlas do Clix“. Um blog é feito de experiências, muitas vezes relatos individuais que outras tantas vezes despoletam reacções por quem passou pelo mesmo. Um blogger não tem de procurar saber o que acontece com outros personagens do post. Não é função dele. Já ao jornalista cabe questionar-se para além do que lhe é dado a ver.

Passarei agora ao exemplo que justifica porque sou da opinião que o caso das “borlas do Clix” faz um bom post, mas não uma boa notícia.

Num passado recente, o suficiente para me lembrar, que a minha memória já não é o que era, mas num passado anterior ao caso das “borlas do Clix”, foram-me relatadas duas situações semelhantes por pessoas diferentes com serviços diferentes.

Uma dizia respeito à PT. Uma pessoa telefonou, várias vezes num determinado espaço de tempo, para a PT descontente com o tarifário do seu telefone e de todas as vezes o viu reduzido para tarifários que não estão tabelados ou que não são do conhecimento do público.

A outra dizia respeito à Netcabo. Uma pessoa telefonou para a Netcabo para deixar de subscrever o serviço (se bem me lembro, a razão até foi o facto de na altura o Clix praticar tarifários mais aliciantes), perguntaram-lhe porquê e após a resposta da pessoa foi-lhe dado um tarifário “especial” também ele não tabelado ou, pelo menos, não do conhecimento do público.

Esta informação foi-me dada pelas pessoas em causa, não a li na blogoesfera. E tendo em conta que se trata de duas pessoas diferentes com serviços diferentes, e eu não conheço assim tanta gente, suspeito que isto seja prática comum. Já está o caro leitor a perguntar-se “Então porque é que o Clix é notícia e a PT e a Netcabo não?”.

Lembro-me das voltas do antigamente do texto a que chamo familiarmente “o pé na porta”, que está no livro “Du Journalisme Après Bourdieu” de Daniel Schneidermann e que foi uma resposta àquele sociólogo, em que o autor apelida o jornalista de abutre. Sim, o bom jornalista tem algo de abutre, mas aquilo que distingue o jornalista de uma pessoa que pensa ou diz mal de toda a gente, é que o jornalista sabe quando isso tem valor de notícia e a tal pessoa não.

Será que ao ler sobre o caso “borlas do Clix”, não nos interrogamos sobre as práticas dos outros operadores? Será o Clix assim tão único que tenha tido uma ideia “fantástica” para agarrar clientes e os outros ISP’s não?

O que faz deste caso um bom post e uma má notícia não é a verificação do que foi dito, mas sim não se ter visto para além de. O que me preocupa nas notícias com origem, e muito bem, na blogoesfera é o facto de quando elas aparecem na imprensa não estarem a ser filtradas pelo jornalista. Já foram filtradas pelos bloggers. O que num blog não é mau, mas num jornal é crítico.

One thought on “A blogoesfera ou porque é o Clix motivo de post e não de notícia

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s