opiniões

Estavam ambos sentados no chão, costas contra o frio da parede da velha casa que se estendia atrás e pernas esticadas a sentir o redondo das pedras da rua.
– É que não é fácil ter uma opinião – avançou como se a conversa fosse a meio – ou uma ideia. O outro lançou-lhe um olhar de incentivo e ela continuou:
– Quantas pessoas já ouviste emitir uma opinião, cujas acções estivessem sempre de acordo com essas opiniões ou ideias? Ou, pelo menos, não estivessem em desacordo? Esse é o grande problema: sabemos todos qual é a opinião certa e não nos calamos, mas quando agimos não o fazemos pela opinião que transmitimos, mas por aquilo que queremos, por aquilo que nos apetece. E se o que nos apetece vai contra a opinião ou ideia que emitimos, tanto pior! É muito fácil opinar, aqui confortavelmente sentada, sabes?
O outro resmungou:
– Está frio e o chão é demasiado duro!
– É modo de dizer. O meu ponto é que quando finalmente chega a possibilidade das pessoas agirem em conformidade com o que opinaram, elas não o fazem, quer porque dá muito trabalho, quer porque se recusam a serem privadas de algo. Seja este algo o que for, entendes?
Enquanto se virava à espera da resposta do outro, sentiu uma torrente de água gelada pela cabeça abaixo e uma voz estridente que gritava:
– E se querem conversar as estas horas vão para outro lado, que as pessoas querem dormir!!!
Suspiraram. Assim, de cabelo escorrido e roupa encharcada, pareciam ainda mais tristes.
– Queres vir ver um filme a minha casa?
– Nã… Fica para outra vez, tenho o Van der Valk à espera.

One thought on “opiniões

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s